Adoção de cães e gatos cresce durante a pandemia
O ano de 2020 foi um marco para os pets que tem ajudado na saúde mental de famílias e tutores durante o isolamento social

 As fotos de final de ano de muitas famílias tiveram um novo integrante: os animais de estimação. Durante a pandemia, ONGs e protetores de animais afirmam que a procura por adoção de cães e gatos aumentou em quase 50%. Em Brasília, a Gerência de Vigilância Ambiental e Zoonoses do Distrito Federal (GVAZ) e entidades parceiras registrou que o número de adoções de animais, entre janeiro e setembro de 2020, foi maior do que o dobro do ano de 2019, quando a pandemia ainda não havia chegado ao país. A busca por companhia é o principal motivo para o crescimento das adoções.

Em paralelo, estudo recente conduzido pelo canal especializado Journal of Veterinary Behavior com 1.300 respostas coletadas em três semanas de distanciamento constatou que os animais de estimação trazem benefícios para saúde mental e ajudam a enfrentar as consequências do confinamento, que incluem a solidão como principal sintoma. A pesquisa, conduzida na Espanha, traz resultados relevantes, pois pela primeira vez toda população estava na mesma circunstância ambiental.

Nesse contexto, o contato com pets se destaca como uma fonte significativa de suporte e bem-estar para pessoas de todas as idades. Mas, não é de hoje que a interação humano-animal rende bons resultados. Os animais vêm sendo um componente central da vida humana há milhares de anos e hoje, as configurações familiares e o crescimento do mercado pet evidenciam a importância do papel desempenhado por esses animais.

"Nos últimos anos, observamos uma mudança expressiva no comportamento dos consumidores em relação a seus pets - e como o mercado vem respondendo a isso. A tendência é que o desenvolvimento de produtos caminhe para soluções mais integrativas, que contribuam ainda mais para fortalecer a relação humano-animal", comenta Roberto Valdrighi, gerente de Marketing LatAm da Mars Pet Nutrition, uma divisão da Mars Petcare. Recentemente, a marca OPTIMUM™, parte do portfólio de alimentos para pets, criou uma campanha com foco nos tutores, reforçando o conceito de pet parenting, que se refere aos cuidados e informação para cuidar bem dos peludos.

O vínculo com cães e gatos se estreitou à medida que houve a flexibilização do conceito de família. Em relatório divulgado pelo Instituto WALTHAM™, maior referência em pesquisa científica sobre animais, crianças e pais, descrevem seus pets como membros da família. Os entrevistados ainda relatam que seus cães e gatos são como confidentes e fontes de suporte e consolo. Paralelamente, outro estudo dirigido pela Universidade de Michigan, aponta que 75% das crianças entre 10 e 14 anos buscam seus animais quando estão chateadas.

O WALTHAM™ comprovou ainda que relacionamentos próximos com pets são frequentemente associados ao desenvolvimento de empatia em crianças e o suporte social sem julgamentos provido pelos animais produz efeito calmante sobre pessoas de todas as idades. Após um ano com tantos desafios, um ouvinte como esse cai bem, não é mesmo?

Sobre a Mars Petcare

A Mars Petcare é a divisão focada em nutrição e bem-estar animal da Mars, uma empresa familiar, privada, com mais de 100 anos de história e dona de algumas das marcas mais amadas do mundo, como ROYAL CANIN®, PEDIGREE®, WHISKAS® e OPTIMUM™. Além de prover o mercado pet com produtos cuidadosamente desenvolvidos, a Mars Petcare também conta com projetos para combater o abandono animal globalmente, incentivando a adoção responsável e apoiando instituições que abrigam animais em situação de rua. Cerca de 85 mil colaboradores de Petcare, em mais de 80 países, trabalham em prol de Um Mundo Melhor para os Pets e estão reunidos sob os Cinco Princípios da Mars - Qualidade, Eficiência, Responsabilidade, Mutualidade e Liberdade -, em linha com o seu propósito de criar o mundo de amanhã através da forma como fazemos negócios hoje.

Informações para imprensa (Mars)

JeffreyGroup | [email protected]